terça-feira, 12 de maio de 2009

Conjugar o Verbo Crispar



Gosto de tecer tua métrica. Não só os versos, mas o bailado todo. Que começa com teus olhares furtivos e termina, invariavelmente, com teus olhos cerrados. Gosto da métrica como se fosse fita, centímetro em centímetro, deslizes, matrizes de devaneios que sempre acabam com a imagem de tua pele arrepiada, ouriçada em sentimento e vontade.


A métrica pode ser o desejo, o lampejo, o pulsar, o querer, o versar, o invadir, penetrar, consumir. Podem ser simples mãos dadas ou complexas engenharias em beiras de estrado. Quem nunca ouviu um sussurro, um gemido, um pedido? E nisso os versos se confundem com cheiros, perfumes de corpo, de botica e de sexo. Cheiros insubstituíveis, como métricas. Como versos.


Escrever assim remete à métrica. Ao verso composto em duas vozes, em formas, curvas, desvios, fluxos e dentes. Unhas. Enfim, nessa métrica livre, a única regra é a regra mais simples e objetiva, a de rimar gostar gotejar solfejar. Escrever assim poderia ser canto, encanto, afago, doce, amargo ou qualquer dessas coisas que transpiram nesses sentimentos sortidos.


E as regras da boa métrica poderiam ser classificadas como ousadias necessárias para um bom poema. E nesse ritmo, toada, melodia, arrebata a sensação de que nunca mais seremos serenos, tranqüilos, exatos. Portanto, de hoje em diante, estabelecemos um único regulamento necessário e talvez indizível: As roupas ficam no cabide ou no chão, porque a respiração aquiesce e aquece, e rimam.



09. maio.

6 comentários:

Avassaladora disse...

Te achei la no Blog da Amarelinha...rsrsrs

Um comentário prático e rápido... adorei!

E claro, vim conhecer... E só de saber que gostas de torresrmo e jiló, já virei sua fã...rsrsrsrs


Mas é claro, não poderia deixar de elogiar o ótimo texto!
Vc brinca com as palavras, numa deliciosa ciranda!


Beijos avassaladores!

Ludmila Roumillac disse...

E rimam...

=)

Besosss

Auréola Branca disse...

Métricas de duas vozes. Interessante! E não é mesmo que há sempre duas conjunções para seu verbo?

Saudades...

Avassaladora disse...

Não vou titubear...rsrsrs

Rápida no gatilho!


Beijos!

Anônimo disse...

"complexas engenharias em beiras de estrado": construção poética muito bonita e inspiradora!

Eliana Klas disse...

...pois é.
Lí este texto logo qdo foi postado.
...e li de novo ao longo destes meses, talvez umas três vezes.
...e hoje de novo.

...e a sensação é a mesma:

ele me faz ficar quieta.
Não consigo comentar pois fico quieta ouvindo o poeta sussurar.