terça-feira, 29 de abril de 2008

Canto dos Olhos




Um olhar. O primeiro sorriso, roubado. Mas saboreado.


Outro, olhar. Os segundo e terceiro sorrisos, mútuos. E degustados.


Mais olhares. Múltiplos, silenciosos e cúmplices. Assim como os sorrisos. E...


Olhos cerrados, fechados. Entre o tato e o olfato, paladares.


Sem sorrisos. Mas os lábios...


Beijo. E saíram apressados.


4 comentários:

Vivi disse...

Muito fofo!
Gostei do affair meio adolescente.

C. Dayan: disse...

Os olhares, os sorrisos e os silêncios, são eles que dizem tudo. O resto é só conseqüencia.

Rápido e poetico. gostoso de ler ;)

Obrigada pela visita ao D'propósito e pelos comentários. Volte sempre que quiser. As portas e janelas estão abertas, fique à vontade, mas não esqueça de deixar seu rastro por lá ;)

Abraço.

PS. como foi que achou meu blog?

Renata disse...

O texto me parece um flerte com os leitores...coisas de Fernando Amaral! É uma delícia de ler!
Ainda vou comprar seu livro na livraria...

Eliana disse...

Bom...gostoso.

Gostei do "entre o tato e o olfato, paladares" ...Poético e perfeito.
Vou usar este termo da proxima vez que quiser pedir um beijo...rs.
Se o cara for poetico entenderá...se não for...vou pensar se ainda merece o beijo.
Rs.

Abraços!